Valis M


Proteção poderosa contra o mildio da batateira, composto por valifenalato e mancozebe. É um fungicida sistémico com mobilidade xilemica e translaminar com ação preventiva e curativa, com grande persistência de ação e boa resistência à lavagem.

Fungicida sistémico para o controlo do míldio (Phytophthora infestans) da batateira.

MODO DE AÇÃO
O VALIS M é um fungicida sistémico utilizado no controlo do míldio da batateira. É composto por valifenalato e por mancozebe.
O valifenalato é uma substância ativa que pertence ao grupo das amidas do ácido carboxílico (CAA), Código MOA H5 que inibe a síntese de celulose/ parede celular das diversas estruturas do fungo: esporos e micélio, à superficie da folha ou no interior da planta. Classificação FRAC código: 40.
Muito ativo sobre a germinação dos esporos, inibindo a formação das estruturas de infeção, tais como tubos de germinação e vesículas subestomáticas, interferindo com a síntese das paredes celulares.
Ação curativa sobre o micélio em crescimento ativo dentro dos tecidos da planta, destruindo as paredes celulares das extremidades das hifas.
Ação anti-esporulante devido à inibição das estruturas reprodutoras, induzida pela ação nas paredes celulares.
Após a aplicação, o valifelanato fixa-se às ceras, e penetra rapidamente na folha. A Redistribuíção do Valifenalato na planta é através de movimento translaminar, penetrante e de difusão (mobilidade xilémica).
O mancozebe pertence ao grupo quimíco dos ditiocarbamatos, FRAC Código: M03, actividade “multi-site” de contacto, que inibe vários processos metabólicos, atuando em diversas enzimas, geralmente considerado como um grupo de baixo risco de desenvolvimento de resistências.

RECOMENDAÇÕES DE APLICAÇÃO

CULTURA ALVO DOSE ÉPOCA E CONDIÇÕES DE APLICAÇÃO
Batateira Míldio (Phytophthora infestans) 2,5 kg/ha Iniciar os tratamentos quando as plantas atinjam 20 a 30 cm ou quando a folhagem se toca na linha e se verifiquem temperaturas superiores a 10ºC e humidades relativas elevadas.

A persistência biológica do produto é de 10 dias reduzidos para 7 em condições de maior pressão da doença e no período de maiores crescimentos da planta. A dose a utilizar em pleno desenvolvimento vegetativo deve ser de 2,5 kg/ha. Número máximo de tratamentos por ciclo cultural: 3.

PERFIL DO PRODUTO
Nº AV: 4037 concedida pela DGAV
Composição: 60% (p/p) de mancozebe e 6% (p/p) de valifenalato
Formulação: Grânulos dispersíveis em água (WG)
Grupo químico: Valifenalato: FRAC – código 40, mancozebe: FRAC Código – M03
Intervalo Segurança: 7 dias para batateira
Classificação CLP:

Palavra-sinal (CLP): Atenção
Embalagens: 250 gr, 1 kg, 5 kg, 10 kg

A informação constante neste site não dispensa a leitura atenta do rótulo do produto.
Recomenda-se a consulta do site oficial da DGAV : https://sifito.dgav.pt/divulgacao/usos